• (11) 99385-0963
  • contato@psicologabrancafrias.com.br
20
Março

Existe Vida Depois dos 50 Anos?

Depois dos 50 anos pode ser uma fase muito boa de ser vivida. Quando era criança, na década de 70, ter a idade de 50 anos era algo muito distante... Era considerada uma pessoa velha que já não vivia, apenas vegetava, com movimentos lentos, ficando em frente à TV todo o dia...sem vida!!!
 
Hoje a vida tem mudado e muito, 50 anos é o início de uma fase mais madura da vida, viver com mais qualidade, saber lidar com os problemas de uma forma mais tranquila, não que não sofra, mas começa a relativizar e dar importância para o que realmente tem, a sobrevivência já está garantida então o trabalho pode ser mais tranquilo.

A medicina e a ciência evoluíram muito e hoje uma pessoa com 70 anos ainda é totalmente produtiva. Segundo a estatística, a expectativa de vida tem aumentado, o Brasil já conta com mais pessoas acima de 50 do que com jovens de 0 a 14 anos (1).

Fala-se muito em Estilo de vida atualmente, anteriormente o termo era qualidade de vida. Essa visão permite que o indivíduo viva plenamente suas capacidades e enfrente doenças se tiver que vir, de maneira mais leve.
 
Abaixo vou elencar algumas áreas que devem ser observadas para ter uma vida fantástica.
 
Saúde Mental: A nossa forma de enxergar a vida é o que nos mobiliza para momentos felizes ou não. Exercitar a compaixão consigo e com o outro, estar atento a nossas necessidades emocionais, ver a forma como nos comunicamos com o outro e fazer planos para nossa vida são aspectos importantes para mantê-la. Precisamos resolver os problemas quando eles aparecem, pois, a procrastinação é algo tóxico.

É muito importante desenvolver e manter uma boa autoestima, cuidar da autoimagem, a forma como se vê e como se veste, se não está tão bem por dentro, busque roupas bonitas e coloridas para o estímulo externo ajudar no interno.

Saúde Física:  Nesta esfera se engloba o fazer check-up anualmente e cuidar de pequenos sintomas para que não virem doenças.

Com relação a Atividade Física, imaginamos que ela está ligada a frequentar uma academia, mas não é, por exemplo você pode fazer uma caminhada, evitar andar de carro e fazer percursos a pé. Cuidar da casa também é uma grande atividade, há a movimentação de quase todos os músculos, como exemplo: estender a roupa no varal (alongamento), puxando o varal com roupa molhada, você aumenta a força de alguns grupos musculares, varrer a casa com uma música bem legal...e por aí vai.

Manter uma Dieta equilibrada: não significa regime ou só comer folhas. O organismo já deixou de fabricar algumas vitaminas e hormônios, assim a alimentação tem a função de reparar os danos celulares naturais.

Sono: Coloco o sono numa categoria distinta visto sua importância para a qualidade da vida. A insônia é muito comum, em média de 40 a 70% apresentam alteração no ritmo do sono e os problemas com a falta dele tem crescido muito. O que recomendo: se ela aparece (a insônia), quando vai anoitecendo, vá transformando o ambiente em lusco-fusco, não tome nada energético, nem comidas pesadas, banho morno e chazinho caem bem. Desliguem computadores e celulares, são altamente estimulantes. TV ou livros que sejam com temas bem leves ou repetidos, para o cérebro ir se entediando e ter sono.
 
Família: fortalecer os laços com a família atual (filhos, maridos netos) e com a original (tios, primos etc.). Aproveite o momento para resolver rusgas antigas e restabelecer o contato, pessoalmente ou por telefone. Coloque a história da família em dia.
 
Amigos: a vida social é importante, conversar com os antigos, fazer novas amizades, as trocas de experiência e sensação de pertencimento são muito importantes.
 
Enfim, se pensarmos bem, não é tão difícil assim, mudar o que está ruim e adquirir novos aprendizados mais saudáveis para ter uma vida mais completa. É possível sim ter uma boa vida após os 50 anos, estamos mais maduros, com a serenidade trazida pela idade e com as escolhas definidas.
Boa Vida!!!!!
 
(1) Fonte Máquina Cohn & Wolfe

Leia também

22
Setembro

A origem do Setembro Amarelo

Vamos falar um pouco sobre a origem do Setembro Amarelo e todo esse movimento de conscientização contra suicídio que começou com a história de Mike Emme, nos Estados Unidos. Ele era conhecido por sua

Vamos conversar?